segunda-feira, 1 de outubro de 2018


Artigo

PRESIDENTE DOS BRASILEIROS E BRASILEIRAS



Por Milton Atanazio














Lendo o editorial do jornalista Fernão Lara Mesquita “Esquerdo X Direitopatas, Brasil à parte”, me convenço de que “Se correr o bicho pega, se parar o bicho come”. A hora é de fazer contas. E se o Brasil se tratar agora e com urgência, é a vez de o meio, do centro, se mostrar disposto e magnânimo, no melhor sentido da palavra.

O desarmamento dos espíritos tem de começar já. É preciso resistir à tentação das agressões que não podem ser revertidas de imediato. Como uma bomba que foi lançada e não volta ao ponto de partida. Se faz necessário construir um consenso do Brasil verde e amarelo inteiro, em velocidade recorde, logo ali adiante.

Jair Bolsonaro, pintado como ameaça iminente para a democracia, é o exemplo mais evidente. Quem tem tanques e está querendo dar golpe não sai à rua pedindo votos.

O ódio de Lula à democracia vem sendo gestado, gole por gole de fel, à vista do Brasil inteiro. Mas Fernando Henrique Cardoso não acredita nele. Não é o presente, é o passado que determina esse comportamento.

Diante deste quadro, concordo com o jornalista Reinaldo Azevedo, quando diz que precisamos ter sobriedade e moderação.

Temperança é a palavra de ordem, uma vez que a racionalidade parece estar adormecida. E não é privilégio de um grupo ou de outro. É uma particularidade que parece está desaparecendo no processo eleitoral, onde falta moderação e sobriedade.

Há Grupos que estão na eleição, como se no dia 7 e no dia 28, em que ocorre o primeiro e segundo turno, fosse um ponto de chegada.

Acontece que o resultado das urnas, que sairá no dia 28 de outubro, não será o ponto de chegada, mais o ponto de partida.

A nova situação do Brasil, começa no dia seguinte, ou seja, o velho Brasil continua no dia seguinte.Com todas as belezas e mazelas, com seus temores e encantamentos. Quem for governá-lo, vai governar para todos. Brasileiros e Brasileiras e um só Brasil.

Que se elabore desde já e é necessário, que todas as forças políticas, façam um pacto pela governabilidade. As pessoas têm todo o direito de se organizar e se manifestar por esta ou aquela posição política e isso tudo é legítimo e do jogo eleitoral. É indispensável respeitar a democracia e o Estado de Direito.
É necessário pensar que quando se diz uma palavra de ordem, de que tipo de coisa está despertando nessas pessoas. Os líderes políticos são responsáveis pelas paixões de seus liderados.

Exemplo desta afirmativa é quando se fala do resultado das eleições, tanto para Haddad quanto para Bolsonaro, que lideram as pesquisas eleitorais, ambos destilam dúvidas quanto a apuração deste pleito, ou seja, só é legítimo se a vitória for do próprio.

A palavra do presidente do STF, ministro Dias Tóffoli, ontem, foi importante e definitiva “quem vier a ser eleito estará vencendo legitimamente”, garantiu.
Candidatos, tenham santa paciência...



*Milton Atanazio é jornalista, comunicador, árbitro judicial, consultor diplomático, cônsul honorário da Bielorrússia, editor da Revista VOX e Publisher da BrazilianNEWS

Nenhum comentário: