quarta-feira, 3 de outubro de 2018


Artigo

ESTÁ CHEGANDO O FIM DA POLÍTICA TRADICIONAL DO PAÍS

Por Milton Atanazio


A cada quatro anos o brasileiro, por força da legislação, é obrigado a participar de eleições, que são realizadas através do voto direto, secreto e obrigatório. Em outubro vão às urnas.

Corre o risco de se tornar a próxima democracia a cair na onda populista que vem varrendo o planeta. Pode parecer estranho, mas existe a real possibilidade de que possa eleger um presidente que atacou abertamente os direitos de homossexuais, mulheres e afro-brasileiros e que foi um apologista para ditadura militar e tortura, mesmo sendo uma das democracias mais inclusivas do mundo em desenvolvimento.

No entanto, esta subida do candidato líder nas pesquisas pode ter uma explicação – O desencanto dos brasileiros pelo modelo atual, que está em pleno declínio, desde a transição da ditadura militar na década de 1980. Chegou ao limite e indica a necessidade de transformação urgente do sistema político do país. O brasileiro está desencantado e fatigado. O país vive numa crise ética e moral desde Collor. É indignante. Mensalão petista, tucano, Lava Jato, etc.

O sistema atual dá mostras que não funciona e é coroado pela corrupção dos políticos, acrescentado pela sensação de impunidade e insegurança. O sentimento popular é que uma transformação mais ampla na política brasileira está em andamento. Precisa chegar, e logo.

O sentimento de insatisfação e tristeza dos eleitores com os problemas do sistema político é intenso. Os brasileiros querem romper com tudo que está aí. Os eleitores estão dispostos a qualquer risco para quebrar este sistema marcado pela corrupção.

Independente da polarização e do discurso controverso do candidato Bolsonaro, ele conseguiu convencer muitos eleitores de que ele não faz parte desse sistema político que não funciona e inovou ao fazer campanha sem seguir a tradição dos grandes partidos nacionais. Faz baseado no uso pesado das mídias sociais e no trabalho de base para se promover como um outsider desse sistema.

Apesar do capitão reformado ter um histórico sem destaque durante quase três décadas na Câmara, ele é ajudado pelo fato de que não foi envolvido pela Operação Lava Jato e que construiu uma campanha inovadora.

O Brasil parece estar se encaminhando para mais uma década perdida, mas, com as reformas certas, o país pode construir um sistema político mais transparente que entregue um governo eficiente a seus cidadãos.

Vamos aguardar, torcer e participar. Afinal brasileiro: profissão esperança.


*Milton Atanazio é jornalista, comunicador, árbitro judicial, consultor diplomático, cônsul honorário da Bielorrússia, editor da Revista VOX e Publisher da BrazilianNEWS

Nenhum comentário: